Modulos do software Eberick

Novos módulos desenvolvidos para você

Dimensionamento de Alvenaria estrutural

O módulo dimensionamento de alvenaria estrutural do Eberick, combinado ao QiAlvenaria acrescenta a possibilidade de analisar, detalhar e dimensionar edifícios de Alvenaria Estrutural.

Exportação para o SAP2000

Exporte o modelo estrutural do Eberick para o SAP 2000 para análises e verificações adicionais nos resultados obtidos no Eberick, sem a necessidade de relançar o modelo.

Integração com ADAPT

Agora você pode lançar o modelo estrutural de um edifício no Eberick, com todas as suas ações e propriedades geométricas, importar diretamente no programa Adapt, onde serão inseridos os cabos de protensão nas lajes ou vigas.

Análise dos efeitos dinâmicos devidos ao tempo

O programa realiza uma análise dinâmica modal, determina as frequências dos principais modos, compara com a frequência natural da estrutura, informa o fator de participação modal e avalia conforto antropodinâmico para cada pavimento e ações da estrutura. Também é possível exibir uma animação com a deslocamento livre de cada um dos modos, para melhor avaliação.

Algoritmo de otimização das seções de vigas e pilares

O Eberick dispõe de um algoritmo exclusivo que encontra a seção transversal mais econômica para cada viga ou pilar da estrutura, a partir de critérios pré-definidos sobre a seção transversal original. Essa otimização pode ser aplicada para cada elemento ou para grupos de vigas ou pilares. Com resultados econômicos relevantes, os projetos tornam-se mais eficientes e garantem ainda mais produtividade ao engenheiro.

Blocos com mais de 6 estacas

Com este módulo é possível utilizar blocos sobre estacas em diversos formatos, dando maior liberdade ao calculista na escolha do bloco mais adequado. Os blocos cadastrados têm formatos retangulares, triangulares, hexagonais e diversos outros formatos, compreendendo os formatos mais usuais para blocos de até 10 estacas. Além disso, é possível cadastrar novos blocos retangulares com mais de 10 estacas.

Os blocos podem ser associados a estacas retangulares, circulares, perfil I, trilho e tubular, conforme a combinação de módulos utilizada, já que as estacas metálicas estão disponíveis num módulo específico.

O Eberick realiza todo o dimensionamento e detalhamento dos blocos, indicando as armaduras principais (inferior e superior), estribos horizontais e verticais, quando necessário, indicando a ligação das estacas com os blocos quando há estacas tracionadas, gerando desenhos bastante completos e com elevado nível de acabamento.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8.

Sapatas corrida em apoio elástico

Com este módulo é possível lançar vigas apoiadas diretamente no solo, também chamadas de sapatas corridas, que podem servir de apoio para paredes ou pilares.

O programa realiza o dimensionamento e detalhamento dessas vigas de fundação e faz as verificações necessárias para a base apoiada no solo, de acordo com as configurações de recalque do mesmo.

Esse tipo de fundação é bastante útil para alguns tipos de estruturas, como fundações para estruturas em alvenaria estrutural, entre outras.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8.

Tubulões

No Eberick também é possível dimensionar e detalhar fundações do tipo tubulão, dando mais uma opção para o calculista projetar as fundações dos seus projetos.

Os tubulões são modelados com molas em meio elástico e podem ser dimensionados em concreto armado, incluindo armadura ao longo do fuste ou em concreto ciclópico, com ou sem alargamento da base. Além dessas opções pode-se optar por incluir ou não o bloco de coroamento junto ao tubulão.

O programa gera todo o detalhamento do bloco de coroamento e tubulão, além de representar esta fundação na planta de locação, formas e pórtico 3D.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5 Gold.

Radier

Estes elementos são apoiados diretamente no solo e são representados no programa como fundação sobre base elástica para apoio dos pilares. O programa irá considerar o radier na análise do pórtico e efetuar todo o dimensionamento da laje de fundação. A partir dos resultados dos esforços o programa irá gerar o detalhamento completo do radier, incluindo as esperas dos pilares.

Dependendo das características do solo, do porte da edificação, bem como das peculiaridades de cada localidade, esse tipo de solução pode representar uma ótima alternativa para as fundações da edificação.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8 Gold.

Fundações associadas

No Eberick também é possível associar as fundações de pilares convencionais que estejam próximos, como no caso de juntas de dilatação, por exemplo. Nesses casos, é possível agrupar os pilares em uma única fundação, que pode ser bloco, sapata ou tubulão associado, sendo que o programa fará todo o cálculo e detalhamento da fundação, considerando as excentricidades nas fundações decorrentes das cargas e momentos diferenciais.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5 Gold.

Lançamento de estacas isoladas

O Eberick permite o lançamento de estacas isoladas, servindo de apoio direto para as vigas, sem a necessidade de blocos de coroamento. Nesses casos a estaca é considerada um ponto de apoio para a viga e, com isso, o usuário tem mais uma alternativa para as fundações do projeto.

Os esforços oriundos do pórtico são aplicados nas estacas e a peça é verificada de acordo com os parâmetros de resistência cadastrados pelo usuário. As estacas também são representadas na planta de locação, cargas e locação das estacas, gerando todos os dados necessários para o posicionamento correto dos elementos na obra.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V9.

Estacas metálicas

Com este módulo é possível cadastrar no Eberick estacas metálicas do tipo perfil I, trilho ou tubular, definindo a geometria e a resistência da estaca. A partir desses dados o programa calcula quantas estacas são necessárias para cada bloco e gera o detalhamento, incluindo as armaduras do bloco, as estacas e um detalhe da ligação estaca bloco.

As estacas metálicas também são representadas na planta de locação das fundações e locação das estacas, gerando desenhos com elevado nível de qualidade.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V9.

Vínculos elásticos para fundações

No Eberick é possível definir a vinculação das fundações como rotuladas, onde o nó é restringido ao deslocamento, mas livre para a rotação, ou engastadas, onde o nó é restringido tanto ao deslocamento como à rotação. Além dessas opções presentes na base do programa, o Eberick dispõe de um módulo que permite definir o vínculo da fundação como elástico, onde podem ser definidas individualmente restrições a cada um dos graus de liberdade da fundação (deslocamento em X, Y e Z, rotação em X, Y e Z) e um coeficiente de mola para a definição do apoio elástico. O coeficiente de rigidez da mola no vínculo do tipo elástico da fundação deve ser calculado com base nos coeficientes de recalque vertical e horizontal do solo.

A vinculação adotada refere-se ao ponto de apoio da estrutura e interferem diretamente no modelo, podendo gerar estruturas mais ou menos estáveis, bem como mais ou menos econômicas. Com essas alternativas pode-se buscar qual vinculação é mais adequada para cada projeto.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

Planta de locação das estacas

Além da planta de locação dos pilares, o Eberick também permite gerar uma planta de locação específica para as estacas, contendo a indicação individual de cada uma, além da tabela que contém as coordenadas dessas estacas, permitindo locá-las individualmente. Para quem fazia esse trabalho, de levantar as coordenadas manualmente, este recurso representa uma grande redução no tempo de geração dos desenhos.

O Eberick também permite incluir outras tabelas complementares na planta de locação, como, por exemplo, uma tabela contendo os esforços no topo de cada uma das estacas, facilitando o dimensionamento desses elementos.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8.

Pilares com seção composta

Além das seções transversais presentes na base do programa, com o módulo Pilares com seção composta adicionado ao Eberick, pode-ser definir para os pilares as seguintes seções transversais, além das seções já disponíveis na plataforma básica do programa:

  • Retangular vazada
  • Tipo T
  • Tipo U
  • Tipo +
  • Tipo I
  • Tipo L aberto

Com a seção transversal de pilar do tipo “L aberto” é possível lançar além do pilar em L tradicional, pilares de concreto moldado in loco em formato L com ângulo entre abas diferente de 90°. Com isso, podem-se lançar pilares em “L aberto” (ângulo entre abas maior que 90°) e pilares em “L fechado” (ângulo entre abas menor que 90°).

Com estas seções transversais o projetista tem maior liberdade de lançamento para atender as exigências arquitetônicas, além de facilitar o dimensionamento e detalhamento desses elementos no projeto.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V7.

Pilares esbeltos e pilares-parede

Com este módulo é possível realizar o dimensionamento de pilares-parede, onde podem existir efeitos de 2ª ordem localizados , provocados pela atuação combinada das cargas e momentos. Nesses casos o programa decompõe a seção do pilar em faixas analisadas isoladamente. Essa verificação é integrada ao processo iterativo de cálculo das armaduras do pilar, atendendo tanto por verificação da seção completa como por faixas.

Este módulo também incorpora ao Eberick um novo método de dimensionamento de pilares, chamado “pilar padrão acoplado a diagramas MxNx1/r”, com o qual a NBR 6118 permite o dimensionamento de pilares com esbeltez até 140, caso a esbeltez na direção secundária do pilar não seja relevante. Por utilizar um processo mais preciso para determinação dos efeitos de 2ª ordem, em alguns casos, o processo também poderá resultar em menores armaduras desses pilares. Com isso, o usuário poderá escolher entre qualquer um dos métodos existentes, buscando a alternativa mais econômica ou mais crítica.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8.

Vigas curvas

Possibilidade de lançar vigas curvas definidas através de segmentos de arco, permitindo, inclusive, a criação de vigas contínuas com trechos retos e curvos, atendendo a eventuais exigências dos projetos arquitetônicos.

As vigas curvas também serão representadas no modelo de pórtico espacial que representa a estrutura. Com isso, os esforços necessários para o dimensionamento dessa viga são determinados de forma adequada, incluindo os efeitos de torção pertinentes, gerando o detalhamento completo desses elementos.

As vigas curvas também são representadas no pórtico 3D e plantas de formas, conferindo um grau de acabamento elevado para os desenhos do projeto.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V9.

Vigas com mesa colaborante

No programa é possível considerar a contribuição da mesa da laje na rigidez das vigas de seção I, L, L invertido, T e T invertido. A opção de considerar a mesa colaborante da laje pode auxiliar na solução das flechas do pavimento, uma alternativa interessante para os casos em que as flechas excedam os limites recomendados.

Para as vigas de seção I e T o programa também realiza todo o dimensionamento e detalhamento dos elementos, fornecendo mais uma opção de vigas para o projeto.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

Vigas com variação de seção no vão

A existência de desníveis na edificação, ou mesmo limitações geométricas, muitas vezes exigem soluções alternativas como a alteração da seção em pequenos trechos da viga. Como alternativa de solução, este módulo acrescenta ao Eberick a possibilidade de calcular vigas com trechos de alturas diferentes no mesmo vão, podendo obter esse dimensionamento em diversas situações, tanto alterando a seção na parte superior, quanto inferior ou, ainda, apenas alterando a altura em um pequeno trecho do vão.

O programa gera também todo o detalhamento, incluindo as armaduras de suspensão e concentrando os estribos quando necessário.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V7.

Aberturas em vigas e lajes

O Eberick permite o lançamento, dimensionamento e detalhamento de aberturas em lajes e vigas. Para as vigas, o furo pode ser retangular ou circular, atendendo a projetos que exigem previsão para passagem de tubulações em vigas. O programa diferencia situações de furos de pequenas dimensões, onde não é necessário alterar as armaduras existentes, das situações de aberturas com dimensões maiores; onde se faz necessário diversas verificações adicionais, incluindo automaticamente o detalhamento de reforços de armadura na região da abertura.

Para as lajes, o programa permite o lançamento de aberturas em lajes maciças e nervuradas, atendendo às situações onde é necessário deixar uma passagem para a cobertura ou reservatório, por exemplo. Neste caso o Eberick já trata tanto o dimensionamento da laje com essa abertura como o próprio detalhamento, interrompendo as armaduras da laje na região da abertura e inserindo as armaduras de reforço adicionais.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V7 Gold.

Muros de concreto

Para os muros de concreto é possível definir diversos formatos, considerando suas paredes inclinadas ou dentes na base, de acordo com a preferência do projetista. Definido o formato, a altura e espessura do muro, o programa calcula a largura da base necessária para o equilíbrio da estrutura considerando empuxo passivo e ativo de terra e água e as sobrecargas no terreno de contenção, gerando o detalhamento completo das armaduras desse tipo de muro.

A análise dos esforços e deslocamentos é feita por métodos clássicos, assumindo que o muro se comporta como um corpo rígido em conjunto com o solo no qual ele é apoiado. Através da janela de dimensionamento dos muros, pode-se analisar o diagrama de empuxo e os dados do dimensionamento, com os quais o programa calcula as armaduras para a parede, base e dente.

Com o dimensionamento completo dos muros o calculista pode verificar de forma fácil e segura qual melhor opção de geometria para os muros do projeto.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

Muros de gravidade

O módulo Muros de gravidade permite analisar, dimensionar e detalhar muros de arrimo de gravidade constituídos de blocos de alvenaria, de pedra ou concreto ciclópico.

O lançamento dos muros é feito diretamente no croqui, definindo-se dois pontos para a inserção. Os muros devem ser lançados desconectados da estrutura e não passam pelo processamento de pórtico, tendo seu dimensionamento já na janela de lançamento, facilitando o processo de definição da geometria mais adequada para as contenções do projeto.

Para os muros de gravidade é possível definir diversos formatos, considerando suas paredes inclinadas ou dentadas, de acordo com a preferência do projetista. Definido o formato, a altura e espessura do muro, o programa calcula a largura da base necessária para o equilíbrio da estrutura, gerando os detalhes de geometria do muro de arrimo.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

Lajes planas

Possibilidade de projetar lajes planas, maciças ou nervuradas, apoiadas diretamente sobre os pilares ou, ainda, contendo capitéis na região dos pilares.

Além das verificações na flexão e cisalhamento, é feita uma verificação da laje na punção, a partir dos perímetros críticos, determinados segundo a geometria da laje, efetuando de forma completa todo o dimensionamento das lajes planas e lajes cogumelos.

Para as lajes planas, quando necessário serão incluídas armaduras de punção constituídas de studs metálicos, dispostas na região do entorno dos pilares. Estes conectores podem ser dispostos de forma perpendicular ou radial em relação ao pilar, conforme preferência do projetista, completando o detalhamento das lajes que estiverem apoiadas diretamente nos pilares. Além disso, o programa também dispõe de armadura de prevenção contra o colapso progressivo, conforme estabelecido na NBR 6118, item 19.5.4.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5 Gold.

Lajes nervuradas

O Eberick permite o lançamento, dimensionamento e detalhamento de lajes nervuradas com blocos de enchimento e cubetas plásticas, conferindo mais alternativas para as lajes do projeto.

A grelha das lajes é montada conforme o espaçamento entre as nervuras, gerando os resultados de esforços, deslocamentos e armaduras. As armaduras positivas, negativas e de regiões são detalhadas em planta, permitindo agrupar os detalhamentos nos eixos X e Y.

Nas lajes nervuradas podem ocorrer esforços cortantes mais significativos e, nesses casos, o programa gera uma armadura de cisalhamento (na forma de estribo) onde houver necessidade. Os estribos são indicados em planta, de acordo com o posicionamento das nervuras, gerando o detalhamento completo das armaduras da laje.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V7.

Lajes treliçadas 1D e 2D

Com o módulo Lajes Treliçadas 1D e 2D é possível dimensionar e detalhar diversos tipos de lajes:

  • Lajes treliçadas uni e bidirecionais, que são compostas por vigotas treliçadas e blocos de enchimento em diversos formatos, materiais e agrupamentos. Nos casos das lajes unidirecionais ainda é possível definir uma nervura transversal de travamento;
  • Lajes do tipo painéis maciços uni e bidirecionais, que são lajes maciças compostas por painéis treliçados justapostos; e
  • Lajes do tipo painéis com blocos de enchimento uni e bidirecionais, que são compostas por painéis treliçados justapostos e blocos de enchimento.

O usuário pode ainda cadastrar novas treliças e blocos de enchimento, adequando o cadastro aos materiais fornecidos na sua região. As treliças são detalhadas em uma prancha de treliças e são indicadas e quantificadas nos relatórios.

Essas novas opções de lajes conferem ao usuário uma maior liberdade para definição do melhor tipo de laje para cada projeto.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8.

Lajes com vigotas protendidas

No Eberick é possível cadastrar lajes com vigotas protendidas de acordo com os dados do fabricante. Para cada arranjo de vigotas e blocos é associada uma tabela com os dados de vão máximo e sobrecarga limite para que o programa verifique se os parâmetros atendem aos requisitos do projeto. O usuário pode cadastrar diferentes arranjos e fabricantes, conforme a disponibilidade dos fabricantes.

Caso a relação entre o vão e a sobrecarga não atenda à geometria e ao resultado de esforços da laje o programa indica erro de dimensionamento, alertando o usuário sobre determinada situação, conferindo mais segurança nas verificações do projeto.

As vigotas protendidas ainda são listadas nos relatórios, quantitativos de materiais e desenhadas na planta de forma, indicando a posição correta para montagem na obra.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

Plastificação das lajes

Os esforços das lajes também podem ser obtidos considerando uma redistribuição dos esforços no painel, gerando uma análise não-linear da grelha. No Eberick, pode-se definir a utilização do modelo através da plastificação dos apoios onde são incluídas rótulas plásticas na grelha. Nesse caso, é possível diminuir os momentos fletores negativos da continuidade ou minimizar “picos” de esforços em regiões de reentrância da laje, como os que ocorrem em “cantos vivos”, que, dentro de determinados limites de redistribuição, podem gerar economia de armadura mantendo a segurança da estrutura.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8 Gold.

Região maciça em lajes

O novo módulo regiões maciças em lajes acrescenta ao AltoQi Eberick a possibilidade de se definir regiões maciças em lajes com nervuras, ou seja, regiões de onde serão removidos os materiais inertes das lajes e preenchidas com concreto.

Existem diversas situações de projetos onde a utilização de regiões maciças em lajes torna-se uma solução interessante, como por exemplo:

  • Definir faixas maciças em continuidade de lajes nervuradas. Nesses casos a utilização de faixas maciças sobre a continuidade passa a ser uma solução bem interessante, pois se aumenta, assim, a região de compressão;
  • Utilizar regiões maciças com objetivo de evitar armaduras de cisalhamento nas nervuras, que necessita de maiores cuidados na concretagem;
  • Utilizar regiões maciças para inserir regiões mais rígidas na laje, com objetivo de auxiliar no controle as deformações excessivas; e
  • Utilizar faixas maciças para o engastamento de lajes maciças de beirais em projetos onde são utilizadas lajes internas com nervuras.

Editor das grelhas

Este novo módulo acrescenta ao AltoQi Eberick a possibilidade de edição das propriedades de rigidez e vinculações das barras e grelhas, permitindo que se faça ajustes no modelo de grelha.

O Eberick utiliza o modelo de analogia de grelhas para efetuar a análise dos pavimentos, modelo este bem difundido e validado no meio técnico. Em algumas ocasiões, devido à geometria da laje e à discretização da grelha utilizada, podem surgir valores elevados em uma das barras da grelha. Agora, com o uso do editor de grelha, é possível editar a rigidez das barras de forma que os esforços sejam redistribuídos, reduzindo, assim, esses picos em pontos localizados.

Com isso é possível buscar alternativas para o dimensionamento e detalhamento das lajes, escadas e rampas do projeto, gerando economia de armaduras e mais facilidade durante suas montagens em obra.

Rampas

O dimensionamento das rampas é feito através de uma grelha tridimensional ligada aos painéis de lajes, obedecendo a todos os critérios normativos.

As rampas também podem ser combinadas a outros módulos do Eberick, permitindo o lançamento de rampas nervuradas ou treliçadas, fornecendo ainda mais opções para a concepção do projeto.

O detalhamento das armaduras é feito em planta, indicando o comprimento correto das barras. Na planta de formas é exibido o sentido da rampa e, se for o caso, o posicionamento correto das vigotas e nervuras, facilitando a montagem na obra.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

Vigas e pilares inclinados

Eberick permite o lançamento de elementos inclinados, entre eles vigas e pilaresmoldados in loco.

As vigas inclinadas são lançadas do pavimento superior para o pavimento inferior, podendo atravessar os níveis intermediários e, se for o caso, identificar os pilares intermediários como apoio. Essas vigas inclinadas também servem de apoio para escadas e rampas, ou para lançamento de outros tipos de estruturas, como galpões, arquibancadas, coberturas, entre outros.

As vigas e pilares inclinados são calculados no modelo do pórtico espacial e representados no pórtico 3D juntamente com o restante da estrutura, facilitando a adequação ao projeto arquitetônico.

O detalhamento dos elementos inclinados será exibido incluindo o desenho em viga e um corte da seção, gerando um detalhamento bastante claro e completo.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8.

Escadas especiais

Este módulo permite o lançamento e dimensionamento de “escada plissada”, na qual o fundo da escada acompanha a mesma geometria dos degraus, e escadas autoportantes, nas quais os lances e patamares intermediários não dispõem de apoios em vigas ou pilares.

Nas escadas plissadas, o programa trata o dimensionamento das armaduras do lance de escada, sendo que o usuário pode optar pelo detalhamento utilizando barras contínuas dobradas ou com estribos.

Para as escadas autoportantes o programa considera a rigidez axial dos elementos e faz o dimensionamento e detalhamento considerando os esforços decorrentes dos efeitos de flexo-tração e flexo-compressão.

Com estas opções o programa torna-se mais abrangente nas soluções para escadas.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8

Paredes de contenção

Este módulo confere ao Eberick a possibilidade de inserir paredes de contenção ligadas à estrutura, incluindo abas horizontais de reforço, se necessário. Através desse recurso, o projetista pode modelar paredes de contenção (cortinas), levando em consideração os esforços e deslocamentos da parede no modelo e no dimensionamento da estrutura, fazendo com que a influência da rigidez desses elementos seja considerada de modo mais apropriado.

O Eberick também gera o detalhamento completo dos elementos, concentrando as armaduras no topo e na base da parede, quando necessário.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

Reservatórios elevados

O módulo Reservatórios elevados permite criar reservatórios elevados de até 200m² em planta apoiados diretamente nos elementos da estrutura, considerando a ação devido ao empuxo da água.

A análise é feita de forma integrada no modelo de pórtico espacial, permitindo que o calculista avalie de forma global o efeito do reservatório na estrutura. Pode-se considerar diretamente a influência dos reservatórios nos esforços, deslocamentos e estabilidade global da estrutura, trazendo maior segurança nos resultados finais.

O programa ainda gera todo o detalhamento desses reservatórios em corte e planta, incluindo algumas opções adicionais:

  • Possibilidade de engastar paredes e paredes com lajes;
  • Opção de adotar chanfro entre paredes ou paredes e lajes;
  • Opção de detalhamento com armaduras concentradas.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

Reservatórios enterrados

Além da possibilidade de considerar os reservatórios apoiados nos pilares, também é possível considerá-los apoiados diretamente no solo de suporte, criando cisternas em formatos retangulares. Nesse caso, permite-se inserir os dados de resistência do solo para a construção de um modelo sobre molas elásticas, representado através de uma grelha 3D, sendo que o programa considera a ação devido ao empuxo da água, do solo e das cargas aplicadas sobre terreno, quando houver.

O programa fornece o detalhamento completo das lajes e paredes do reservatório em planta e cortes, facilitando sua finalização. Para os reservatórios ainda é possível:

  • Engastar paredes e paredes com lajes;
  • Adotar chanfro entre paredes ou paredes e lajes;
  • Detalhamento com armaduras concentradas.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

Memorial de cálculo

Com este módulo é possível gerar automaticamente documentos base para memorial de cálculo e de critérios de projeto. A memória de cálculo é constituída por relatórios de cálculo de todos os elementos estruturais em um documento único que pode ser aberto em softwares como Microsoft Word® e Internet Explorer®. No Memorial de Cálculo também é possível gerar os diagramas de carregamento, esforços cortantes, momento fletor e torçor e deslocamentos de todas as vigas do projeto agrupados em um único documento.

Já o documento de critérios de projeto contém informações como materiais utilizados, critérios de durabilidade, carregamentos, etc, que são definidos através de parâmetros extraídos do próprio projeto.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V7.

Biblioteca de detalhes típicos

Para facilitar a montagem dos elementos em obra é possível incluir automaticamente detalhes típicos junto aos detalhamentos dos elementos no Eberick. Os detalhes típicos podem ser associados ao detalhamento das lajes, indicando a montagem das armaduras negativas e de distribuição, indicando a montagem das armaduras de punção e de colapso progressivo. No caso das estruturas pré-moldadas, também é possível incluir detalhes típicos para representar a montagem das ligações semirrígidas com barra passante. Outra opção é incluir detalhes típicos na planta de locação e planta de cargas, indicando o sentido do carregamento, evitando erros na leitura das cargas das fundações.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V7.

Verificação em situação de incêndio

Este módulo acrescenta ao Eberick a verificação da estrutura em situação de incêndio através de uma janela específica, onde são emitidos avisos e demonstrados os parâmetros e resultados das verificações de incêndio de cada elemento, fazendo com que o processo de adequação da estrutura à verificação de incêndio torne-se simples e prático.

Dentre as verificações, destacam-se:

  • Verificação de pilares através de método analítico;
  • Verificação de lajes e vigas através de método tabular;
  • Reservatórios, paredes e escadas verificados como lajes;
  • Consideração de revestimentos nas verificações de incêndio;
  • Consideração do Método do Tempo Equivalente;
  • Cálculo automático do tempo requerido de resistência ao fogo;
  • Consideração do redutor Δδ na verificação de vigas;
  • Esforços obtidos através de combinações de incêndio.

Todas as verificações são apresentadas também nos relatórios de verificação de incêndio e no memorial de cálculo do programa, oferecendo maior agilidade e confiabilidade.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V7.

Elementos pré-moldados

Possibilidade de lançar pilares e vigas pré-moldadas, incluindo consolos, aparelhos de apoio e pinos de ancoragem de forma automatizada e ágil.

Os consolos podem ser do tipo retangular ou trapezoidal e estarem presentes em pilares e vigas além da opção de consolo contínuo para apoiar as lajes.

Este módulo ainda permite a utilização de:

  • Vigas pré-moldadas com e sem dente gerber;
  • Vigas mistas, considerando 2º estágio de concretagem;
  • Reservatórios, paredes e escadas verificados como lajes;
  • Lançamento de lajes alveolares;
  • Dimensionamento e detalhamento dos cálices das fundações;
  • Ligações semirrígidas para as estruturas pré-moldadas;
  • Consideração do redutor Δδ na verificação de vigas;
  • Ligação de vigas convencionais em pilares pré-moldados.

A análise e o dimensionamento da estrutura consideram, ainda, as etapas de construção, gerando um detalhamento completo dos elementos pré-moldados, incluindo as alças de içamento para pilares e vigas. Para as vigas pré-moldadas há a opção de representar a vista superior e separar forma e armadura, gerando um detalhamento final bastante completo e claro.

Os elementos pré-moldados estão disponíveis no módulo Pré-moldados 30, com limite de 30 pilares pré-moldados e 60 vigas** pré-moldadas, e no módulo Pré-moldados, que não possui esse limite de elementos.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V7.

**Por pavimento.

Concreto de alto desempenho

Até sua versão anterior a NBR 6118 limitava-se somente a concretos da Classe I, entretanto a partir da revisão de 2014, a mesma norma passou a abranger também concretos da Classe II, até a classe C90. Esse tipo de concreto, chamado de Concreto de Alto Desempenho (CAD), possui, entre as principais características, a elevada resistência e durabilidade.

A NBR6118 estabelece uma série de diferenças para o dimensionamento de peças que possuem concretos de alta resistência como módulo de elasticidade, a função da posição da linha neutra em relação à altura útil da peça (relação x/d), em relação ao diagrama retangular equivalente, admitido pela norma de forma a substituir o diagrama parábola-retângulo do concreto, a resistência, a tração, entre outros itens.

No Eberick, com o módulo Concreto de Alto Desempenho, é possível efetuar a análise e dimensionamento dos elementos utilizando também concretos da Classe II, conferindo novas opções para os projetos.

Encontre o produto mais adequado e comece a projetar


BASIC
Eberick 2018

Concreto armado moldado in-loco, pré moldado, alvenaria estrutural e estruturas mistas para projetos de pequeno porte.

Quero proposta

PRO
Eberick 2018

Concreto armado moldado in-loco, pré moldado, alvenaria estrutural e estruturas mistas para projeto de médio porte.

Quero proposta

PLENO
Eberick 2018

Concreto armado moldado in-loco, pré moldado, alvenaria estrutural e estruturas mistas para projeto de grande porte.

Quero proposta

Trabalhamos também com a licença vitalícia, para mais informações
+55 48 99129 3911